Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Claro como a água

Claro como a água

Ter | 07.04.20

Últimas leituras

Numa época conturbada em que a vida parou,  aqui em casa somos uns privilegiados por poder estar em teletrabalho. Procuramos a calma e o equilíbrio entre o tempo e a disponibilidade para as leituras. A preguiça apodera-se de mim sempre que tento escrever a opinião sobre uma das minhas leituras mais recentes.

Desde o início de 2020 li 6 livros.

Posso finalmente dizer que li Cem Anos de Solidão de Gabriel García Márquez, um livro que comprei em finais de 2016 e que só à terceira tentativa - se é que posso caracterizar como tal as duas tentativas que havia feito e que não me levaram além da décima página - consegui ler. São realmente um enredo e uma história fantásticos, a criatividade do autor é o ponto forte do livro.

Exatamente 4 anos após a primeira leitura de Para Onde Vão Os Guarda-Chuvas de Afonso Cruz, reli aquele que foi um marco na minha vida de leitora. Foi incrível voltar a estas personagens. Podem ler mais sobre o livro aqui

No kobo li Meu Amor, Meu Segredo de Julie Cohen, foi não apenas uma leitura diferente daquilo que esperava, mas também um livro relativamente ao qual fiquei indiferente. 

Uma amiga emprestou-me o Índice Médio de Felicidade de David Machado, foi o meu primeiro livro do autor. Como escrever, pouco que seja, sobre um tema tão sensível e contemporâneo? Foi uma surpresa positiva, quer a obra quer o autor.

Numa ida à livraria, quando ainda podíamos vaguear por entre as livrarias só porque assim era nossa vontade, comprei O Corpo: Um Guia para Ocupantes de Bill Bryson, um livro não-ficção sobre uma temática que me atrai bastante. É um trabalho de investigação magnífico do autor, que consegue colocar numa linguagem bastante acessível um dos sistemas mais complexos da vida. Foi a primeira leitura cinco estrelas deste ano.

O último livro que terminei e que guardei carinhosamente na estante foi Lá, Onde o Vento Chora de Delia Owens. Uma história perturbadora, personagens bem construídas, uma pitada de mistério e uma escrita encantadora são os ingredientes chave. Foi a segunda leitura cinco estrelas deste ano e a primeira leitura em muito tempo que me deixou desconfortável.

 

Depois destes 6 livros, estou a passar por um período de incerteza relativamente ao que ler. Talvez consequência da última leitura, a verdade é que volta e meia lá me vem à cabeça a história de vida de Kya e perco o interessa em tudo o que possa ler a seguir.

Comecei hoje o livro Uma Educação de Tara Westover, ainda só li 10 páginas, dizem que é espetacular e está muito bem escrito.

1 comentário

Comentar post