Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Claro como a água

Claro como a água

20.04.20

OPINIÃO | Cem Anos de Solidão

Rita
Título: Cem Anos de Solidão Autor: Gabriel Garcia Márquez Editora: Leya Ano de publicação: 1967   Terminei a leitura de Cem Anos de Solidão do inigualável Gabriel Garcia Márquez como que de rastos, com a injusta sensação de que aquele último parágrafo vale pelo livro todo. Há muito que andava para ler esta obra, tinha o livro na estante desde final de 2016, altura em que foi publicada esta edição no âmbito da Colecção: Essencial - Livros RTP. Não ter ainda lido Cem (...)
09.08.18

OPINIÃO | Anna Karenina (sem spoilers)

Rita
 Título: Anna Karenina Autor: Leo Tolstoy Ano da primeira publicação: 1878 Editora: Macmillan Collectors Edition   Esta obra-prima da literatura (talvez o livro mais bonito que tenho lá em casa) esteve na minha estante à espera de ser lido durante aproximadamente um ano, tendo sido necessário cerca de um mês e meio para desbravar as mais de mil páginas. Foi o segundo livro de Tolstoy que li, depois de A Morte de Ivan Ilitch decidi que tinha de me aventurar com Anna Karenina ou Gue (...)
22.04.18

OPINIÃO | Rebecca

Rita
     Título: Rebecca Autor: Daphne du Maurier Ano da primeira publicação: 1938 Editora: Círculo de Leitores   Perdi conta ao número de vezes em que me disseram que este livro era espetacular, o melhor da autora. Comprei este exemplar numa feira de rua no Verão passado e desde então tenho procurado coragem para mergulhar nas cerca de 400 páginas de letras miudinhas e texto corrido. O projeto Livros no Ecrã (...)
04.09.17

OPINIÃO | O Retrato de Dorian Gray

Rita
  Tí­tulo: O Retrato de Dorian Gray Autor: Oscar Wilde Ano da primeira publicação: 1891 Editora: Relógio d'Água   Não sou crítica, não tenho qualquer espécie de formação em literatura, arrisco dizer que percebo tanto de literatura como de culinária, e do segundo não pesco nada. Se há coisa que tenho percebido é que me é muito difícil escrever sobre estes livros, mais do que sobre os outros. E o que são estes livros, perguntaram vocês? São livros maiores, que (...)