Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Claro como a água

Claro como a água

Dom | 05.06.16

OPINIÃO | Um Crime no Expresso do Oriente

 WP_20160601_008.jpg 

Título: Um Crime no Expresso do Oriente

Autor:  Agatha Christie

Ano da primeira publicação: 1934

Editora: Biblioteca Visão

 

 

Este foi o primeiro livro que li da autoria de Agatha Christie, a Rainha do Crime. Não sei explicar como é que estive todo este tempo sem pegar num livro dela, tenho este na estante há algum tempo mas fui adiando a leitura até agora.

 

Vergonha exposta e assumida, passemos ao que interessa. Primeiro facto: Agatha Christie é totalmente diferente de tudo o que já li; Segundo facto: o Poirot é a personagem mais genial de que tenho memória; Terceiro facto: vou querer ler todas as obras da Agatha Christie (e sim, eu sei que são imensas).

 

A lógica é o ingrediente-chave desta obra, presente ao longo de todo o livro, na sua estrutura, na exposição dos acontecimentos e até na forma como as personagens são construídas. Sou uma amante fervorosa da lógica e também por isso já suspeitava que ia tornar-me fã de Hercule Poirot.

 

Pelo título adivinha-se que a acção se desenrola num comboio, é lá que é cometido o crime e é também lá que Poirot tem de descobrir o seu autor. A obra está dividida em três partes denominadas Os Factos, Os Depoimentos e Hercule Poirot Senta-se e Pensa, logo aqui é perceptível a diferença entre esta obra e outros policiais. Mas há mais. Para além de todos os acontecimentos interessantes terem como pano de fundo o comboio, a autor criou um cenário fechado, ou seja, sabemos que o autor do crime é um dos passageiros do comboio e mais, sabemos que essa pessoa ainda está no comboio. Só Poirot com o seu incrível poder de dedução poderia desvendar um caso destes!

  

Outra característica diferenciadora desta obra são as descrições extensas e pormenorizadas, essenciais para a resolução do caso. Fiquei surpreendida com a escrita da autora, não esperava que fosse tão acessível e fluida, dada a complexidade dos casos que apresenta, mas estava enganada, prendeu-me do início ao fim.

 

Querem saber mais? Vão ter de ler cada página de Um Crime no Expresso do Oriente, não se irão arrepender. Quanto a mim, vou certamente continuar a ler as obras da autora, tenho A Casa Torta, As Dez Figuras Negras e O Assassinato de Roger Ackroyd à espera na estante, os suficientes para me entreter durante uns tempos.

 

Classificação no Goodreads: 5/5

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.