Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Claro como a água

Claro como a água

Ter | 12.01.16

OPINIÃO | Os números que venceram os nomes

Os Números que Venceram os Nomes

 

Título: Os números que venceram os nomes

Autor: Samuel Pimenta

Ano de Publicação: 2015

Editora: Marcador

 

Não sei bem o que pensar acerca deste livro, fiquei aterrorizada com o mundo distópico que o autor criou. O autor apresenta-nos um futuro onde os nomes não existem, a personagem principal chama-se Um Nove Um Seis, uma outra personagem é o Um Quatro Um Seis e por aí em diante.

Esta obra tem um enorme significado, apesar de todos termos os nossos nomes, somos também números, e se os nomes deixassem de existir? Já somos números. E se os números vencessem os nomes? É sobre isto que Samuel Pimenta escreve, sobre a perda de identidade e sobre uma sociedade despersonalizada onde não existe cultura, arte, onde a literatura e a música não têm qualquer propósito. 

A escrita é simples, ainda que um tanto ou quanto poética, bastante fluida e diferencia-se da habitual pois Samuel Pimenta não utiliza pontos de interrogação, pontos de exclamação, qualquer pontuação associada ao discurso directo, utiliza sim (e com bastante frequência, graças a Deus) vírgulas e pontos de final. Ao início parece um pouco estranho mas rapidamente nos ambientamos a esta escrita (principalmente quem já leu Saramago) .

Gostei muito do tema do livro mas penso que faltou alguma complexidade à história, ainda que seja um tema bastante original a história pareceu-me muito simples e evolui demasiado depressa, talvez por isso não consiga atribuir maior pontuação no Goodreads.

Samuel Pimenta é, sem dúvida, um escritor para manter de baixo de olho.

 

Classificação no Goodreads: 3/5