Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Claro como a água

Claro como a água

Sab | 07.05.16

OPINIÃO | O Senhor Valéry & O Senhor Henri

 

WmDev_635982247533104157.jpg

 

Título: "O Senhor Valéry" e "O Senhor Henri"

Autor: Gonçalo M. Tavares

Ano da primeira publicação: 2002 e 2003

Editora: Editorial Caminho 

 

A série "O Bairro" é uma colecção de dez cadernos dedicados a dez moradores de um bairro inventado pelo autor Gonçalo M. Tavares. Nestes dois primeiros volumes conhecemos o Senhor Valéry e o Senhor Henri:

 

"O senhor Valéry era pequenino, mas dava muitos saltos. Ele explicava:
-Sou igual às pessoas altas só que por menos tempo."

 

Lógica é o que guia o senhor Valéry. Ele diz que:

 

 

"O Mundo tem 2 lados: o direito e o esquerdo, tal como o corpo; e o erro surge quanto alguém toca o lado direito do Mundo com o lado esquerdo do corpo, ou vice-versa".

 

 

Sendo eu uma defensora dos argumentos lógicos, não poderia não ficar apaixonada por este Senhor (dei por mim a sorrir perante algumas passagens maravilhosas).

 

O Senhor Henri tem uma personalidade bastante distinta da do Senhor Valéry mas ambos gostam de jogos de linguagem. O Senhor Henri gosta de se manter informado e para tal lê enciclopédias. Passa o tempo a beber absinto e está sempre a lembrar-nos disso. Não gostei nada do Senhor Henri, achei-o muito fútil e aborrecido.

 

"O senhor Henri disse: ... é verdade que se um homem misturar absinto com a realidade fica com uma realidade melhor... mas também é certo que se um homem misturar absinto com a realidade fica com um absinto pior... muito cedo tomei as opções essenciais que há a tomar na vida — disse o senhor Henri...nunca misturei o absinto com a realidade para não piorar a qualidade do absinto... mais um copo, caro comendador. E sem um único pingo de realidade, por favor."

 

Adorei a forma como o Gonçalo M. Tavares caracteriza as personagens desta série. As personalidades dos "senhores" que habitam o bairro são muito distintas e complementam-se. Arrisco dizer que este é um bairro com múltiplas personalidades! Já a escrita do Gonçalo não me surpreendeu, o meu primeiro contacto com o autor foi através de O Torcicologologista, Excelênciajá nessa altura a sua escrita poética me tinha agradado e desagradado (há algo aqui que não me deixa dizer que gostei).

 

Ainda que continue a não atinar com as obras do Gonçalo, estou curiosa para conhecer os restantes moradores do Bairro! Restam 8.

 

Classificação no Goodreads: 3/5

4 comentários

Comentar post