Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Claro como a água

Claro como a água

Qua | 07.09.16

OPINIÃO | A Menina Que Fazia Nevar

WP_20160823_002.jpg 

Título: A Menina Que Fazia Nevar

Autor: Grace McCleen

Ano de publicação: 2014

Editora: Editorial Presença

 

Esta é uma história contada por Judith McPherson, uma menina de 10 anos. Como todas, ou quase todas, as histórias narradas por crianças, o ambiente é ternurento e quase sempre nostálgico. A Menina Que Fazia Nevar não é excepção.

Judith é uma menina doce, apesar de todas as adversidades que tem enfrentado, tem uma relação distante e complicada com o pai (um religioso fervoroso), a mãe morreu e Judith sofre de bullying na escola. São os dias tristes e solitários de Judith que a levam a criar a Terra de Leite e Mel e a dar asas à imaginação.

 

Algumas das temáticas abordadas são invulgares, como é o caso da devoção religiosa levada ao extremo, foi esta temática que me levou a pegar no livro. A história criada pela autora é mesmo muito interessante e vale a pena aprender algumas coisas com a pequena Judith e o seu pai.

 

Porquê "apenas" 3 estrelas? Porque apesar de interessante, a história não foi bem conseguida: 1) não consegui criar grande empatia com as personagens, mesmo com a própria Judith, lembro-me inevitavelmente de Scout Finch de Mataram a Cotovia e digo-vos que não há comparação possível; 2) fiquei com a sensação de que o livro foi escrito por várias pessoas, alguns capítulos estavam muito bons enquanto outros estavam demasiados estranhos (e talvez mal escritos); 3) a autora caracterizou os religiosos fervorosos desta história como se estivesse a caracterizar o próprio diabo. Confesso que esperava mais deste livro.

 

O final deixou-me perplexa, triste e com dúvidas sobre a intenção da autora. Não creio que seja um livro para todos os leitores mas penso que os curiosos irão apreciar esta história. Não há como experimentar.

 

Classificação no Goodreads: 3/5

2 comentários

Comentar post