Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Claro como a água

Claro como a água

04.06.17

OPINIÃO | Amor de Perdição

Rita
Tí­tulo: Amor de Perdição Autor: Camilo Castelo Branco Ano da primeira publicação: 1862 Editora: Alêteia   Amor de Perdição, um clássico da literatura portuguesa, há muito que constava da minha lista. Sem saber bem o que esperar, da obra e até mesmo do autor, decidi que estava na altura de ler Camilo Castelo Branco e que deveria começar com a sua maior obra.   Antes demais, deixem-me expressar a minha desilusão ao perceber que muitos leitores comparam esta obra a Romeu e (...)
02.06.17

OPINIÃO | Vinte e Quatro Horas da Vida de Uma Mulher

Rita
  Tí­tulo: Vinte e Quatro Horas na Vida de Uma Mulher Autor: Stefan Zweig Ano da primeira publicação: 1925 Editora: Civilização Editora   Este foi o meu primeiro contacto com o trabalho de Stefan Zweig, não por falta de oportunidade, até porque tenho na estante por ler o Coração Impaciente, mas antes por nunca ter considerado que as suas obras fossem prioridade. Este Vinte e Quatro Horas da Vida de Uma Mulher veio alterar os planos e trazer o nome Stefan Zweig para o topo (...)
09.05.17

OPINIÃO | A Insustentável Leveza do Ser

Rita
  Tí­tulo: A Insustentável Leveza do Ser Autor: Milan Kundera Ano da primeira publicação: 1984 Editora: Edições BIS   Quando comecei a pensar no que iria escrever sobre A Insustentável Leveza do Ser fui arrebatada por diferentes pensamentos, pensei na vida, nos acasos, na felicidade, na morte, no peso, na leveza, em Karenine, no meu cão, em Tolstoi e em tantas outras coisas. Divaguei, tal como Milan Kundera faz nesta obra.   Se me perguntarem do que trata este livro, (...)