Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Claro como a água

Claro como a água

08
Mai16

OPINIÃO | O Tímido e as Mulheres

 WmDev_635983354453671389.jpg

Título: O Tímido e as Mulheres

Autor: Pepetela

Ano de publicação: 2013

Editora: Dom Quixote

 

Após Mia Couto, Ondjaki e Agualusa aventurei-me com o mais conceituado escritor angolano da actualidade: Pepetela. É caso para dizer: mais um escritor africano, mais uma surpresa. Estou fã da literatura africana!

 

Suspeitei que ia adorar o livro quando ainda só tinha lido as primeiras páginas. A história começa assim: "Heitor é nome de herói. Os nomes são importantes. Os heróis às vezes também."

 

O título do livro é bastante sugestivo, Pepetela conta-nos a relação entre Heitor, um homem tímido, e as mulheres que se cruzam no seu caminho. Poderia ser uma história banal, apenas mais uma, mas desenganem-se, é diferente e é tão tão tão boa!

 

"Outro preconceito existente é o de ser possível  esconder o mal de amor. Tentativa inútil, ele parece estar escrito na nossa cara, nos olhos de cão abandonado, no verdor incrustado na pele, independentemente da cor original, por mais escura que seja. Nunca viram um negro verde? Então nunca viram um negro sofrendo do mal de amor."

 

O autor constrói personagens muito completas e interessantes. Heitor, a personagem principal, é um escritor em início de carreira e um homem tímido, principalmente no que toca a mulheres; Marisa é uma mulher atraente, responsável por um programa de rádio de grande sucesso; Lucrécio é casado com Marisa, dotado de uma mente brilhante mas preso a uma cadeira de rodas; há também o senhor do dia 13, que liga para o programa de Marisa ao 13º dia do mês, entre muitas outras personagens fascinantes. 

 

"Marisa ficou com aquela estranha comichão que lhe dava na planta dos pés quando desejava muito uma coisa. Às vezes nem sabia particularizar, só tinha comichão.Acabava por descobrir, desejo de um gelado, um funji de carne seca ou bagre fumado, qualquer coisa,mas desejo forte havia."

 

Este é um livro sobre desejos, assumidos ou mera suposições, entre homens e mulheres, mas este não é, a meu ver, a temática principal do romance. À semelhança de outros escritores angolanos, também Pepetela oferece ao leitor um retrato da sociedade angolana através das suas histórias. Focando-se principalmente no ambiente frenético vivido em Luanda, o autor dá-nos a conhecer uma sociedade marcada pela violência, corrupção e pelo machismo. As personagens femininas que Pepetela constrói são mulheres de garra, que fazem o que podem para não serem vistas e tratadas como um "objecto sexual" e para terem um lugar na sociedade.

 

A escrita de Pepetela é delicada, bem-humorada e aparentemente humilde, dá até a ideia de que é fácil escrever assim! Tal como Ondjaki, também Pepetela faz uso do "sotaque angolano" através de expressões como: "mata-bicho" (pequeno-almoço), "birra" (cerveja), "kuribotices" (fofocas) e "zungueira" (feirante), acho que o texto fica tão mais rico desta forma!

 

Tal como me recomendaram Pepetela, também eu o recomendo. Sinto-me uma leitora muito mais completa após ter conhecido este e outros escritores angolanos. Vale a pena!

 

Classificação no Goodreads: 4/5

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

WOOK - www.wook.pt

A Ler


goodreads.com

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D