Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Claro como a água

Claro como a água

15
Jul16

Foi assim que quebrei o jejum

Eu Sou a Árvore

 

"Todas as árvores caminham sobre o Tempo, sobre a passagem das estações, porque nenhum outro movimento lhes resta. Existem, simplesmente, dividindo-se entre o corpo visível que se estende à luz e o corpo inferior que vive de forma encoberta.
Os seus frutos, contudo, são esperanças perdidas, Verão após Verão. Imagens do desejo de poder ser mais do que braços a estender-se ao céu, ao vento, à impiedade dos pássaros. Da vontade que todo o corpo, o poderoso corpo, pudesse sair da terra, com duas pernas móveis, e a fizesse estremecer de medo quando uma delas voltasse a pousar na superfície."

 

Entrei na livraria, vi o livro, toquei-lhe, peguei-lhe, admirei a capa, li a pequena biografia do autor, folheei o livro, abri-o numa página aleatória e li dois parágrafos. Senti que precisava de o levar comigo. Foi assim, com um autor de quem nunca tinha ouvido falar e com um livro de que não tinha qualquer referência, que quebrei um jejum que já durava há mais de 1 mês e meio. 

 

Das duas uma, ou o livro é mesmo bom ou alguma força divina me levou a abrir o livro na única página que vale a pena ser lida. Dentro de uns dias tudo será esclarecido.

10 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

WOOK - www.wook.pt

A Ler


goodreads.com

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D