Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Claro como a água

Claro como a água

11
Mai16

OPINIÃO | E Se Amanhã O Medo

E Se Amanhã O Medo

 

Título: E Se Amanhã O Medo

Autor: Ondjaki

Ano de publicação: 2005

Editora: Editorial Caminho

 

Livros de contos é algo que nunca despertou o meu interesse, apesar de ter alguns na estante nunca senti vontade de lhes pegar. Mas este é claramente um ano de descobertas e como tal tinha de ler um livro de contos de um autor que descobri este ano (e que já devem estar fartos de ouvir falar aqui no blog): Ondjaki! 

Gosto muito da escrita de Ondjaki! Não sei se é por as suas histórias serem narradas por crianças mas a escrita é muito leve e fresca, com uma grande dose de imaginação, quer ao nível das palavras, quer ao nível das histórias, as suas obras são deliciosas.

 

Ondjaki brinca com os nossos sentidos, pergunta pela impossibilidade e desaparece sem deixar resposta, todos os contos parecem inacabados não havendo uma ligação entre a realidade e o mundo imaginário do autor. No entanto, de alguma forma este livro não foi tão empolgante como os outros que li, penso que isso se deve à profundidade da obra. Sendo um livro de contos, alguns muito curtos, e não existindo a ingenuidade e o sentido de humor das outras obras que li, o livro torna-se mais pesado. No entanto, quero fazer uma ressalva: não sendo bem aquilo que esperava, é muito muito muito bom! 

 

Uma das características do autor é a capacidade de descrever sensações, em particular cheiros e sabores, já havia constatado isso nas outras duas obras que li. Em todos os contos, ainda que de formas diferentes, encontramos referência a pelo menos um dos sentidos:

 

"Vivia obcecado com a ideia de conhecer outros países, mais do que isso!, outras gentes, como se as suas veias fossem irrigadas por sensações movediças e volúveis ao empurrão do vento, nisso que era o seu prazer mais íntimo: observar os que chegavam, cheirar-lhes os cabelos, catalogar-lhes o sorriso segundo a proveniência, e, quase imperceptivelmente, fazê-los falar de coisas banais acontecidas do outro lado do mundo.”

 

Achei curioso que todos os contos estejam acompanhados de uma espécie de dedicatória, o meu preferido o "Candeeiros" é descrito pelo autor como sendo "palavras para Antoine Saint-Exupéry e para o Principezinho". Reparem na genialidade:

 

"Eu é que ponho luz nas noites, meto medo na escuridão, invento pirilampos na cidade (...) julgo ter sido poeta das luzes, escrevedor das velas, conhecedor das ceras escorridas, quer dizer, artífice das minúsculas luzes amarelas (...) e eu, quem me acendeu sempre, enquanto acendi estrelas aqui na terra? (...) todos os dias me despeço dos últimos candeeiros que ainda me acendem o coração."

 

Sendo um livro de contos, bem pequenino e muito bem escrito, é um livro muito fácil de ler e ideal para quem não tem muito tempo. Não sei se é preciso mais do que estas palavras para vos convencer a ler Ondjaki, deixem-se levar pela sua imaginação!

 

Classificação no Goodreads: 4/5

09
Mai16

CITAÇÃO | Ondjaki

As nossas vozes espalhavam barulhos nessa varanda onde primeiro só havia cheiros. Os barulhos esquecem-se rápido. Ainda bem que os cheiros ficam bem presos na nossa memória das recordações. Eu acho que quando formos crescidos vamos gostar de reencontrar estas coisas do nosso antigamente.

Num qualquer futuro, onde eu encontrar cheiro de abacate, ela vai estar um bocadinho lá.

 

em Uma Escuridão Bonita, de Ondjaki

19
Abr16

OPINIÃO | Bom Dia Camaradas

 

WmDev_635966157481753312.jpg

 Título: Bom Dia Camaradas

Autor: Ondjaki

Ano de publicação: 2003

Editora: Caminho

 

Após ter lido o meu primeiro livro do autor: Uma Escuridão Bonita, fiquei com muita vontade de ler algo mais sério. Este primeiro romance foi mesmo muito bom, mas foi demasiado curto. Decidi que tinha de experimentar rapidamente outra obra do autor.

 

Em Bom Dia Camaradas o autor traz de volta a infância dos anos 80 vivida num país em guerra e em profunda crise. É através dos olhos e das palavras de uma criança que nos é dada uma visão de Luanda e Angola, em particular sobre a cultura angolana, a opressão a que a sociedade está sujeita, o medo que habita em toda a população, a falta de comida e o clima de guerra vivido na altura. Ignorante como sou no que toca a história, fiquei boquiaberta com algumas das situações descritas no livro.

 

Se no primeiro livro que li, o autor não fazia uso do calão nem de expressões angolanas, em Bom Dia Camaradas dá-se precisamente o oposto. Achei absolutamente fascinante o uso deste tipo de expressões, como por exemplo  "camarada professora-foguete" e "ché-kingue", que ainda por cima proporcionam momentos bastantes divertidos e uma leitura com sotaque angolano. Algumas das expressões eram fáceis de deduzir, outras eram completamente incompreensíveis para mim, mas felizmente existe um glossário no final do livro ;)

 

 

17
Abr16

OPINIÃO | Uma Escuridão Bonita

WmDev_635964874408794694.jpg

 Título: Uma Escuridão Bonita

Autor: Ondjaki

Ano de publicação: 2013

Editora: Caminho

 

Tão simples mas tão tão tão bom. É um livro mágico que arrepia qualquer leitor, não só pelo escrita de Ondjaki, mas também pelas ilustrações arrebatadoras do artista António Jorge Gonçalves

 

 

Este foi o meu primeiro contacto com Ondjaki (o escritor angolano que vou ter o prazer de conhecer durante a apresentação do novo livro de Afonso Cruz na próxima terça-feira :D) e foi uma enorme surpresa. Fiquei de tal forma apaixonada pela sua escrita, que já estou a ler outro livro do autor.

 

Uma Escuridão Bonita é a história de um simples beijo, só que nunca um beijo foi descrito de forma tão doce e tão poética. Dentro do livro está escuro, as páginas negras não deixam dúvida, mas nunca uma escuridão foi tão bonita. As ilustrações e as palavras escritas a branco transportam-nos para aquela noite, levam-nos a sentir o toque e a intimidade entre as personagens e fazem-nos viver aquele beijo. 

 

 

Depois das mãos e dos lábios, os nossos corações acelerados eram um único chuvisco de contenteza. Até acreditei que dentro de nós havia um cheiro de terra depois de chover.

 

Ondjaki, a par de Javier Marías, está em vias de ser a revelação de 2016 no meu mundo literário!

 

Classificação no Goodreads: 5/5

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

WOOK - www.wook.pt

A Ler


goodreads.com

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D