Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Claro como a água

Claro como a água

01
Mar16

Leituras do mês | Fevereiro

Fevereiro foi ainda melhor do que Janeiro, quer em quantidade quer em qualidade. Li:

10 livros

5 de autores portugueses

5 livros de autores que nunca tinha lido

4 ebooks

1 clássico da literatura

1 livro para o Desafio Limpar a Estante

 

  

Picture1.png

 

Todas as leituras de Fevereiro têm opinião no blog, deixo apenas um resumo da classificação que atribuí a cada livro no Goodreads:

 

O Filho de Mil Homens de Valter Hugo Mãe - 4/5

A Confissão de Leoa de Mia Couto - 4/5

Jesus Cristo bebia Cerveja de Afonso Cruz - 5/5

Os Anos Doce de Hiromi Kawakami - 2/5

As Intermitências da Morte de José Saramago - 4/5

História de Quem Vai e de Quem Fica de Elena Ferrante - 5/5

O Torcicologologista, Excelência de Gonçalo M. Tavares - 3/5

História da Menina Perdida de Elena Ferrante - 5/5

O Monte dos Vendavais de Emily Brontë - 3/5

Sejamos Todos Feministas de Chimamanda Ngozi Adichie - 4/5

 

Leitura de que mais gostei: Jesus Cristo bebia Cerveja de Afonso Cruz

 

Leitura de que menos gostei: Os Anos Doce de Hiromi Kawakami

01
Mar16

OPINIÃO | Sejamos todos Feministas

 :

 

Título: Sejamos todos Feministas

Autor:  Chimamanda Ngozi Adichie

Ano da primeira publicação: 2014

Editora: Companhia das Letras

 

Este é um livro muito curtinho mas que merece, sem dúvida, ser lido. Este ensaio é uma adaptação de um TED talk de 2012, a que podem assistir no youtube.

A temática é a desigualdade entre géneros, tal como o título sugere. Chimamanda levanta questões que nos levam a refletir sobre as diferenças entre géneros mas acima de tudo, tenta desmistificar o conceito de ser feminista.

 

"O seu conselho era que eu nunca, nunca me intitulasse feminista, já que as feministas são mulheres infelizes que não conseguem arranjar marido. Então decidi definir-me como “feminista feliz” (...) A meu ver, feminista é o homem ou a mulher que diz: “Sim, existe um problema de género nos dias de hoje e temos que resolvê-lo, temos que melhorar” Todos nós, mulheres e homens, temos que melhorar."

 

Não quero adiantar muito mais acerca deste ensaio porque ele já é demasiado curto para a temática em questão. Fiquei com muita curiosidade em ler mais obras publicadas pela autora, acho que vou começar pelo Americanah. Ora vejam se a escrita desta mulher não soa como música:

 

"Ensinamos as meninas a sentir vergonha: fecha as pernas, olha o decote. Nós fazemo-las sentir vergonha da condição feminina, elas já nascem culpadas. Elas crescem e transformam-se em mulheres que não podem exprimir os seus desejos. Elas calam-se, não podem dizer o que realmente pensam, fazem do fingimento uma arte."

 

 

Classificação no Goodreads: 4/5

Pág. 8/8

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

WOOK - www.wook.pt

A Ler


goodreads.com

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D